Share

Problemas Comuns com o Seccionamento

Problemas com Corte

Corte em ângulo

É importante fazer cortes em seção que sejam perpendicular ao eixo longitudinal da raiz. Parece básico, no entanto é muito mais difícil realizar e manter o seccionamento ao longo do segmento inteiro. Quando um corte é realizado em ângulo, todos as seções subsequentes serão em ângulo, até que um corte seja feito para renovar a superfície perpendicular.

Cortes angulares podem ser identificado da seguinte maneira:

  • A seção ou suas células internas têm formas ovais
  • Pode-se focar (enxergar) através de várias camadas de células em uma área da seção
  • Parte da seção parece estar “manchada”

Cortar muito fino

Este problema pode ser identificado se em uma seção falta uma parte e/ou ela não é completamente redonda.

Cortar muito grosso

Este problema pode ser identificado se os limites dentro da seção parecem excepcionalmente grossos, ou se você é capaz de ver através de várias camadas de células ao longo da seção inteira.

Lâmina de corte cega

Em função da resistência ao corte pela lâmina pode ser necessário que o pesquisador exerça uma pressão extra no segmento ou use movimento de serra (vai e vem) com a lâmina, ambos ações sem perceber. Essas ações resultarão em seções com aparência de “manchadas” ou disformes, normalmente em uma forma oval.

Seções cortadas pela metade

O problema aqui é que há muitas seções na gota de água, e a convecção (movimento da água) está trazendo elas de volta para a navalha onde estão sendo cortadas pela metade.

Problemas Relacionados ao Tecido

Exposição a Fixador Excessivo

Em uma mistura de fixadores, o uso de uma alta porcentagem de um fixador forte, tal como aldeído, pode resultar em quebra ou digestão do tecido. Esse problema pode ser identificado ao verificar o tecido com a aparência “desgastada”. O mesmo problema pode resultar se o tecido for deixado por longo tempo no fixador inicial (e.g. FAA), - o qual é utilizado para paralisar as funções normais do tecido (morte do tecido), e estabilizar suas estruturas (preservação do tecido), antes de ser removido e armazenado em etanol. Remediar esse problema é relativamente fácil, se a receita tradicional para FAA é seguida (veja “Dicas para Preservar Tecidos”). Também, o período de tempo da fixação inicial é relativamente curto, durando somente algumas horas até alguns dias. Esse tempo deve ser otimizado para o tecido em particular.

Porcentagem de etanol excedendo 75% pode tornar o tecido duro, emborrachado e resistente ao seccionamento.

Falta de Exposição ao Fixador

Usando uma baixa porcentagem de etanol (<50%) para armazenamento a longo prazo pode criar a possibilidade de infecção por patógenos. O armazenamento em água não é recomendado pela mesma razão. As chances de infecção por patógenos podem ser diminuídas se um breve e forte fixador for usado na coleta, e antes do armazenamento. Se usar FAA, o etanol ou ambos, algumas vezes é requerido para penetração do fixador no tecido. Assim, o seccionamento será ótimo se for permitido o tempo adequado para penetração do fixador.

Tecido muito jovem

Tecidos vegetais muito jovens são macios/tenros, e são muito mais difíceis de manusear e seccionar do que tecidos mais velhos. Tecidos jovens podem ser identificados por meio do desenvolvimento vascular prematuro e, ocasionalmente pelo diâmetro. Se tecidos jovens são requeridos, o pesquisador pode considerar o seccionamento com micrótomo seguindo inclusão em ágar, em outro tecido vegetal ou em parafina.